segunda-feira, 28 de Julho de 2014

[Opinião] - Trilogia "Pede-me o Que Quiseres" de Megan Maxwell





"Pois a música é algo maravilhoso na minha vida. A minha mãe dizia sempre que a música amansa as feras e que as letras de muitas canções são tão significativas para o ser humano que podem mesmo ajudar-nos a esclarecer muitos sentimentos"










Estou à meses para escrever estas opiniões, e decidi escrevê-las todas juntas, ou não fossem estes livros uma trilogia.
Li o primeiro livro, "Pede-me o que quiseres", em Janeiro, e fiquei de tal maneira assoberbada e tive que ler os outros dois assim que me chegaram às mãos. Para além disso tive o privilégio de conhecer a autora (podem ver aqui) e de falar com ela sobre esta trilogia e sobre as suas inspirações para a escrever, e isso ajudou imenso a consolidar a opinião que já tinha formada sobre estas leituras.

Começo já por dizer aquilo que todos vocês querem, realmente, saber: ADOREI esta trilogia. Sinceramente, a comparação desta com as "Cinquenta Sombras de Grey" é um dos maiores erros que se pode fazer - não tem comparação possível - não pensem "ah, odiei o Grey e portanto lá vem mais uma trilogia do mesmo género e que vai ser mais uma porcaria", porque se enganam redondamente.

Antes de passar à opinião em si, deixem-me dizer algo importante para quem tem dúvidas sobre o livro: esta trilogia não aborda o sadomasoquismo, aliás é algo a que a personagem principal feminina se recusa. Aborda sim o voyerismo, tema pouco abordado nos livros deste género, publicados já em português. Para além disso foca ainda o swing, através da oferta do parceiro a outros.

Nesta trilogia conhecemos Eric, a personagem principal masculina. Este é um homem rico de negócios que, após a morte do seu pai, decide viajar para Espanha de modo a vigiar as sucursais espanholas da empresa Muller. Tal como em muitos dos livros deste género, Eric é um homem sensual e irresistível, rico, possessivo e controlador que tem traumas que o atormentam e que guarda tormentas do passado que não o deixam viver a plenitude do presente.Sendo alemão é fleumático e rigoroso, mas apaixonado e cativante á sua maneira. Admito que é a escrita da autora que faz com que nos agarremos a este personagem e gostemos dele. Admito que vamos gostando cada vez mais do seu personagem ao longo dos três livros, crescendo este gosto juntamente com o crescimento dele como personagem. Como personagem principal feminina temos Judith, e esta sim foi, para mim, uma surpresa positiva. Judith é uma espanhola, e a autora imprimiu nela todos os característicos traços latinos. Jud é uma mulher caliente, tempestuosa e "guerreira", com uma personalidade forte. Ao contrario do que estamos habituadas a ter como personagens principais, que a meu ver parecem umas débeis mentais, esta personagem tem postura e é firme nas decisões que toma e na sua maneira de ser. São diversas as vezes, ao longo dos 3 livros, que rimos com as tiradas de Jud e com a sua impetuosidade.

No entanto, estes livros não se centram apenas nestes personagens. Ficamos a conhecer, ao longo dos três livros, toda a família de ambos os personagens principais e os seus amigos. Estes personagens têm todos papeis importantes no enredo e nas acções e decisões dos protagonistas. Admito que o meu personagem preferido é o enigmático e carismático Bjorn (sobre quem a autora tem um livro, "Surpreende-me", que eu espero que venha a ser publicado em português também *.*).

Há, nestas leituras, uma separação clara do que é o desejo físico e os sentimentos, ou seja, o verdadeiro amor. Sentimentos seguros e fortes são claramente separados do que é considerado mórbido e excitante, havendo um limite nas acções que separam uns dos outros, por exemplo, o beijo na boca é algo mais relacionado ao sentimento, e que só deve ocorrer entre o casal, estando proibido aos restantes parceiros sexuais.  O espírito aventureiro e aberto de Judith leva-a a acompanhar Eric no seu mórbido mundo, libertando-se do sexo tradicional ao qual estava habituada.

Megan Maxwell leva-nos para um mundo onde tudo é aceite, onde os desejos mais escondidos podem ser satisfeitos, e onde o prazer máximo é o limite. A autora não se reprime nem se coíbe em expôr os meus diversos tipos de sexo, descrevendo-os magistralmente e com uma linguagem adequada, que nos leva a sentir-mo-nos participantes daquilo que estamos a ler. Muitas das vezes podemos inclusivé sentir o formigueiro, como se fossemos nós a viver algo que, segundo regras sociais e do decoro, não deveriamos estar a viver.

A autora referiu, quando estivemos com ela, que quis imprimir nestes livros os desejos que muitas mulheres têm, os fetiches que muitas de nós escondem mas que nos excitam e nos levam ao limite do prazer. E fá-lo de maneira a que não seja visto como errado ou como promiscuo, mas sim como fonte de confiança e de fortalecimento pessoal e interpessoal.

Tal como perceberam, Eric é alemão e Judith é espanhola. Nestas leituras, e em especial no segundo livro, "Pede-me o que quiseres, agora e sempre", o confronto das duas personalidades e dos traços característicos de cada um são uma constante, fazendo com que este casal se diferencie dos casais que costumamos acompanhar neste género de leituras.
Nesta segunda leitura conhecemos mais profundamente a história pessoal de Eric e a sua família, em especial Flyn, o seu sobrinho de quem Eric é tutor. Esta criança vai ter um papel preponderante para o enredo e para a relação de Eric e de Judith.

A trilogia termina com "Pede-me o que quiseres ou deixa-me". Neste último volume Eric e Judith, estando casados, começam a viver as rotinas de um casal. Continuam a ter as suas actividades sexuais e a sensualidade mantém-se. As discussões e as reconciliações continuam a ser frequentes, apesar de mais esporádicas. Este último foi o livro que menos gostei, mas que adorei na mesma. É um livro com um ritmo menos frenético e mais estável, relacionalmente falando. É como que o "fechar" de uma história, e senti que não seria necessário tantas páginas para tal.

Resumindo, esta foi a trilogia, dentro do romance erótico, que mais gostei. Adorei e, agora que acabo de escrever esta opinião, só me apetece voltar a pegar nos livros e a acompanhar Eric, Jud e todos os personagens. Todos eles deixam saudades.
Uma trilogia que os amantes de romance erótico não vão querer perder, e que mesmo quem não é fã deveria ler, pois não se compara aos restantes. Uma boa oportunidade para darem uma oportunidade ao género...não se vão arrepender.


sábado, 26 de Julho de 2014

[Novidades] - Saída de Emergência: Agosto 2014






Chancela: Saida de Emergência
Coleção: BANG
Data 1ª Edição: 29/08/2014
ISBN: 9789896376666
Nº de Páginas: 288
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole




Sobre o livro:
O que faria para sobreviver num mundo pós-apocalíptico?

Até onde iria para preservar a sua vida? 

Num mundo devastado por uma praga que colocou os mortos contra os vivos, Lilly Caul é uma sobrevivente que encontra refúgio na cidade de Woodbury. A princípio, Woodbury aparenta ser um santuário perfeito que restitui esperança às pessoas, governada por um auto-proclamado líder de nome Philip Blake que mantém os cidadãos na linha. Mas Lily começa a suspeitar que nem tudo é o que parece… Blake, que começou a chamar-se a si próprio de Governador, tem estranhas e brutais noções de justiça e ordem. 


Quando Lilly e um grupo de rebeldes decidem então desafiar a sua autoridade, mal sabem que irão abrir uma caixa de Pandora que irá libertar o caos e a destruição… E o que era o último reduto de esperança, torna-se uma estrada para o pesadelo.


Chancela: Saida de Emergência
Data 1ª Edição: 08/08/2014
ISBN: 9789896376291
Nº de Páginas: 304
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole





Sobre o livro:

Uma história de traição e perda, mas também de esperança por um recomeço onde menos se esperava
Joana Cabral Cid, jornalista e investigadora forense, viaja até Estocolmo quando a Academia Sueca se prepara para anunciar o vencedor do Nobel da Literatura. O motivo: tentar descobrir quem matou Thomas Moonland, o grande candidato ao cobiçado prémio.

Depois de se encontrar com a psicóloga criminal Klara Drottning, que investiga o estranho homicídio, Joana vê-se envolvida numa investigação paralela e privada. Rapidamente mergulha num clima de insegurança que contraria a imagem idílica que sempre tivera de Estocolmo.

Ainda fragilizada pelo fim da única relação séria da sua vida, Joana procura um colega que conhecera na capital sueca, Kendryck O´Brien. Precisa desse apoio para diluir o medo que sente pela sua vida e, quem sabe, descobrir a teia de conspiração por trás do homicídio.

Mas quando ninguém é quem parece ser, e tão longe da segurança a que se habituou em Portugal, Joana mergulha numa espiral de traição e perda, mas também de esperança por um recomeço onde menos se esperava.



Chancela: Saida de Emergência
Coleção: A História de Portugal em Romances
Data 1ª Edição: 08/08/2014
ISBN: 9789896376604
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole




Sobre o livro:

um obscuro desejo de conquista no deserto africano do Sultão.
No início do séc. XVI, a expansão portuguesa avança sobre as praças mouras do norte de África, conquistando importantes posições do inimigo. Arzila, grandiosa praça costeira, recebe então um novo capitão, o Conde de Redondo, a quem o Rei D. João III, anos mais tarde, concedeu grandes louvores pelos seus serviços.

Mas como conseguiu este conde resistir aos cercos de um inimigo muito mais numeroso e ainda tomar posições pelo deserto fora? A razão ainda hoje é um mistério, mas rezam as rónicas que o conde gozava de boas relações com um alcaide mouro que entrava sorrateiramente na praça portuguesa.

Com base neste fragmento verdadeiro da História de Portugal, Pedro Torres desenha uma ficção que revela as motivações das misteriosas visitas, o jogo perturbante de paixões e intrigas por detrás das impossíveis conquistas portuguesas. Um jogo doce, elaborado pelas mãos de uma condessa portuguesa, na terra violenta e sensual dos Xarifes…



Chancela: Chá das Cinco
Data 1ª Edição: 08/08/2014
ISBN: 9789897101106
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole





Sobre o livro:

Uma história sobre deixar tudo para trás, desvendar segredos antigos e aprender a amar
Cilla McGowan, uma típica rapariga da cidade, encontrou uma vida nova na restauração de casas antigas. Quando chega ao maravilhoso vale Shenandoah, na Virgínia, dedica-se salvar a velha quinta que pertenceu à sua avó – uma atriz lendária que morreu há mais de trinta anos.

Cilla mergulha no projeto com todas as suas energias, ocupada e exausta demais para notar no seu vizinho, o artista de BD, Ford Sawyer. Determinada a não

ceder à tradição familiar dos romances falhados, Cilla resiste ao charme de Ford, mesmo quando não consegue evitar algumas fantasias.

Mas a realidade reserva alguns perigos para Cilla. Ao encontrar cartas anónimas no sótão, que apontam para um romance misterioso na vida da sua avó, despoleta um assalto violento. Cilla, com a ajuda de Ford, descobre que há segredos que a tornam um alvo a abater e, se quer evitar desaparecer prematuramente como a sua avó, terá que desvendar o passado para, quem sabe, começar de novo na casa dos seus sonhos…

[Novidade]: Marcador: "Os apanhadores de conchas" de Rosamunde Pilcher


Sinopse:
O Livro " Os Apanhadores de Conchas" é um romance de laços e ligações: de uma família, das suas paixões, das mágoas e desgostos por ela vividos durante três gerações. Um romance de pessoas reais - mães e filhas, maridos e amantes -, inspirado em valores e ideias tangíveis que tocam verdadeiramente todos os leitores. Um romance mágico, daqueles que surgem uma vez a cada cinquenta anos e que nos faz querer regressar sempre às suas páginas. «Quando um autor diz que se sentiu morrer no instante em que acabou de escrever determinado livro, devemos olhá-lo com espanto e admiração. Foi o que aconteceu com Rosamunde Pilcher com este seu romance. A não perder.»

[Novidades] - Casa das Letras: Agosto 2014


Sinopse:
«Estava morto. No entanto, o seu nariz palpitava dolorosamente, coisa que lhe era estranha, dadas as circunstâncias.» Assim começa o terceiro livro da série OUTLANDER, em que ficamos a saber que, afinal, Jamie Fraser não morreu no campo de batalha de Culloden. De volta ao século XX, Claire fica em choque com a notícia de que Jamie está vivo, mas, muito mais que isso, fica radiante. Ouvimos a história de Jamie, como ele mudou, tentando alcançar uma vida a partir dos pedaços da sua alma e do país que deixou para trás, e o breve relato de Claire sobre os 20 anos que passaram desde que o deixou em Culloden, enquanto Roger MacKenzie e Brianna, filhos de Claire e Jamie, se aproximam das pistas do passado, numa busca incessante por Jamie Fraser. Será que o podem encontrar? E se o conseguirem, Claire voltará para ele? E se ela o fizer… o que se sucederá? Dos fantasmas de Samhain nas terras altas da Escócia para as ruas e bordéis de Edimburgo, do mar turbulento e das aventuras nas Índias Ocidentais, percorremos páginas de história repletas de revolta, assassínio, vodo, fetiches, sequestros, e um sem-número de inúmeras aventuras. Por detrás de todas elas, porém, jaz a questão de Jamie: «Quereis vós levar-me, Sassenach? E arriscar o homem que sou em prol do homem que era?»

Sinopse:
Venha conhecer O URSO - o gato que transporta o peso do mundo sobre os seus ombros peludos e cujos olhos sábios e semelhantes aos de um mocho parecem perguntar: Por favor, podes dizer-me porque é que sou um gato? Tal como muitos intelectuais, O Urso teria preferido uma vida calma de solidão com imenso tempo para contemplar desoladamente o mundo e refletir sobre os males da sociedade. Lamentavelmente, está condenado a passar os seus dias rodeado de felinos com QI significativamente inferiores ao seu… RALPH: um tigrado belo e vaidoso, que morre de medo do estendal da roupa. SHIPLEY: um rufia malcriado e campeão da caça aos ratos, que fica insensível quando virado de cabeça para baixo. ROSCOE: uma gatinha ferozmente independente, atormentada pela sua sósia no espelho. E, depois, há o Tom, que escreve com a graça e encanto muito próprios sobre as inesperadas aventuras inerentes a uma vida à inteira disposição de quatro gatos… ou três gatos e um poeta sensível que, por acaso, tem trinta centímetros de altura e está coberto de pelo.

[Novidades] - ASA: Agosto 2014


Sinopse:
Nascida no Líbano, Yasmeena era jovem, bela e sofisticada. Tinha formação universitária, falava fluentemente inglês e trabalhava como assistente de bordo. Era também virgem e conservadora, como mandava a tradição familiar. O seu mundo ruiu no dia em que o avião em que deveria sair do Kuwait ficou retido no aeroporto. Saddam Hussein acabara de invadir o país. A guerra começava. No meio do caos, Yasmeena foi enclausurada numa prisão controlada por soldados iraquianos. A violação e a tortura faziam parte da rotina. A impunidade era total. Após o brutal ataque de que foi alvo às mãos do chefe da prisão, Yasmeena fechou-se em si própria e na sua dor… até ao momento em que conheceu Lana, cujo destino estava à mercê de um sádico. Por temer pela vida da amiga, Yasmeena usou o seu frágil poder junto do chefe. Mas a sua coragem teve um preço. Para salvar Lana, Yasmeena foi forçada a fazer uma escolha... Há muito que Jean Sasson queria revelar ao mundo a história de Yasmeena. Mas sabia que, por ser sexualmente explícita, seria difícil de publicar. Contudo, Yasmeena nunca abandonou os seus pensamentos. E, um dia, Jean Sasson simplesmente soube que era a altura certa para a partilhar e impedir que a verdade sobre o que passou entre as paredes daquela prisão caísse no esquecimento. Chocante e comovente, este é um relato fundamental sobre um crime de guerra menosprezado: a violação. Um grito contra o silêncio a que as suas vítimas são condenadas para a vida.


Sinopse:
Tudo começa com uma carta. Eve Petworth escreve-a com o objetivo de felicitar um dos seus escritores favoritos. Jackson Cooper lê-a e, embora tenha tudo o que um escritor de fama mundial possa desejar, sente uma ligação imediata com a sua autora. Algo que, percebe então, o sucesso e o dinheiro não compram. Não se conhecem pessoalmente e têm pouco - ou mesmo nada - em comum. Eve é inglesa e vive voluntariamente enclausurada em casa. O mundo fora de portas angustia-a. As relações sociais paralisam-na. É uma romântica que se condenou à solidão. Jackson é americano e vive rodeado de pessoas, principalmente mulheres. Mas ninguém consegue ajudá-lo a ultrapassar o bloqueio criativo que o atormenta secretamente. É um artista sem rumo. Em jeito de evasão, Jackson transfere o seu impulso criativo para a cozinha. Infelizmente, a sua nova namorada é vegetariana e pouco dada a devaneios gastronómicos. Essa é uma lacuna que Eve está mais do que habilitada a preencher, dada a energia que dedica às mais delicadas e complexas iguarias. E quando trocam receitas e segredos culinários, a distância entre ambos quase se extingue. Uma distância que é simultaneamente reconfortante (para Eve) e tentadora (para Jackson). O escritor está disposto a arriscar quebrar a magia que esta improvável amizade trouxe à sua vida e propõe um encontro na cidade mais gourmet do mundo: Paris. Não podia saber que a ansiedade patológica de Eve torna esse sonho impossível…



Sinopse:
Quando Tommy e Tuppence se mudam para uma pacata vila inglesa, vão em busca de uma vida mais calma que a de Londres. Mas rapidamente percebem que a sua nova casa guarda muitos e perigosos segredos. Quem foi Mary Jordan? Porque é que alguém lhes deixou uma mensagem codificada afirmando que ela não morreu de causas naturais? O casal não resiste a fazer uma viagem no tempo em busca da solução deste crime. E acaba a perguntar-se quantos mais mistérios se esconderão por detrás da serena fachada da vida rural … A Porta do Destino (Postern of Fate) foi originalmente publicado em 1973 na Grã-Bretanha, tendo sido editado no mesmo ano nos Estados Unidos.


[Novidade] - 1001 Mundos: Agosto 2014


Sinopse:
Não é um talento para a jardinagem que faz as rosas da família Empousai desabrocharem há séculos, mas sim as gotas de sangue que as mulheres derramam em segredo pelos seus jardins. Mikki, porém, prefere esquecer essa peculiaridade e levar uma vida normal. Até ao dia em que, sem querer, realiza um ritual e acaba num reino estranhamente familiar: o Reino das Rosas. De acordo com Hécate, a deusa desse reino, Mikki tem nas veias o sangue de uma suma sacerdotisa, e o Reino das Rosas já esperava por ela. Num acesso de raiva que Hécate teve muito antes, ela amaldiçoou o seu guardião com um sono do qual ele poderá despertar apenas por intermédio de uma das suas sacerdotisas. E a deusa conta com Mikki para colocar as coisas em ordem. A princípio, o guardião-fera deixa Mikki apavorada; porém, em breve a fascina mais do que qualquer outro homem já conseguiu. A única forma de ele e do reino serem salvos, contudo, é se Mikki sacrificar o seu sangue e a sua vida.

[Novidades] - Quinta Essência: Agosto 2014


Sinopse:
A Rainha do Romance Sensual

Um belo desconhecido… um coração destroçado… o amor de uma vida

A jovem Maggie Brown viajou até uma estância balnear, com a esperança de esquecer a dor causada pela recente morte da mãe. Nunca imaginou que a sua agridoce estada a submetesse ao abraço mágico de um misterioso desconhecido, ou que ele apenas lhe deixasse recordações. Contudo, em seguida, por ironia do destino, reuniu-se ao homem que tanto amava – que lhe tinha dado o coração, mas não o seu nome.
Para escapar a pressões familiares, o marquês de Belmont disfarçou-se de plebeu a fim de passar umas férias à beira-mar – e perdeu o coração para uma mulher com quem nunca poderia casar. No entanto, determinado a que nenhum outro homem a possuísse, arrastou-a para um amor apaixonado que em breve se transformou em mágoa. Agora, embora receie que possa ser demasiado tarde, jura convencer Maggie de que trocará sem hesitar o seu legado por toda a vida nos braços dela.

Nomeado para Melhor Livro de 2000 pela revista Romantic Times

A morte da mãe colocou um grande peso sobre o coração de Maggie Brown e, com mais problemas remanescentes, ela e uma amiga de longa data da mãe decidem afastar-se de tudo por alguns dias. Um encontro casual com um belo desconhecido fá-la voltar a acreditar no amor, até que ele desaparece. Quando volta para Londres, Maggie é forçada a vender-se para se salvar da miséria, e fica chocada quando reencontra o seu belo desconhecido, que a quer a ela e aos seus serviços, e ao descobrir que ele Adam St. Clair, marquês de Belmont. O amor entre eles torna-se ainda mais forte mas o dever e sociedade tentam afastá-los. Conseguirão ficar juntos?



Sinopse:
Ele procura a noiva perfeita…

Ele é um duque em busca da noiva perfeita.
Ela é uma senhora… mas está longe de ser perfeita.
Tarquin, o poderoso duque de Sconce, sabe perfeitamente que a decorosa e elegantemente esguia Georgiana Lytton dará uma duquesa adequada. Então, porque não consegue parar de pensar na sua irmã gémea, a curvilínea, obstinada e nada convencional Olivia? Não só Olivia está prometida em casamento a outro homem, como o flirt impróprio, embora inebriante, entre ambos torna a inadequação dela ainda mais clara.
Decidido a encontrar a noiva perfeita, ele afasta metodicamente Olivia dos seus pensamentos, permitindo que a lógica e o dever triunfem sobre a paixão... Até que, na sua hora mais sombria, Quin começa a questionar-se se a perfeição tem alguma coisa a ver com amor.
Para ganhar a mão de Olivia ele teria de desistir de todas as suas crenças e entregar o coração, corpo e alma... 
A menos que já seja demasiado tarde.

A curvilínea e ousada Olivia e a esguia e discreta Georgiana são gémeas, criadas pelos pais para serem noivas de duques. Tudo parece assegurado até que o futuro marido de Olivia, o tolo Rupert Blakemore, marquês de Montsurrey, faz dezoito anos e declara que «não irá casar até ter alcançado glória militar». Enquanto ele parte para a guerra contra Napoleão, Olivia vai com Georgiana conhecer Tarquin Brook-Chatfield, o viúvo duque de Sconce e possível pretendente de Georgiana. Mas Tarquin encanta-se imediatamente com Olivia, que tem de decidir se irá ou não arriscar desiludir Georgiana e Rupert retribuindo o afeto de Quin. Uma versão inteligente do clássico A Princesa e a Ervilha.



Sinopse:
A 21 de junho de 2007 Alexandra Kavanagh saiu de casa, falou com a vizinha, meteu-se no comboio, chegou à estação de Dalkey e desapareceu... Tom está destroçado. Não encontra a mulher, o seu mundo desmoronou e o seu único objetivo é localizá-la. Durante dezassete anos, Jane cuidou do filho Kurt, da excêntrica irmã Elle, e da rabugenta mãe Rose. A única pessoa de que não cuida é dela própria. Elle é artista e considerada um génio. Como tal, o seu comportamento um tanto errático é tolerado. Embora a sua vida pareça perfeita, a tristeza de Elle é por vezes profunda. Leslie perdeu toda a família para o cancro. Passou vinte anos à espera de morrer, mas após uma operação radical está determinada a viver de novo. Quatro meses depois do desaparecimento de Alexandra. Tom entra num elevador com Jane, Elle e Leslie para um concerto de Jack Lukeman. Uma hora mais tarde, os quatro desconhecidos saem de lá com as suas vidas entrelaçadas para sempre. Um Amor Perdido aborda o alcoolismo, a depressão, a negação e a dor e ainda assim irá dar por si a sorrir e até a rir.

[Opinião Tertuliana] - "O Jardim das Memórias" de Amy Hatvany




Dotada de uma sensibilidade extraordinária, O Jardim das Memórias é uma história deliciosa que nos fala com naturalidade sobre as diversas acepções da palavra amor. É, igualmente, uma história que oferece uma interessante perspectiva sobre a mente humana e os seus requintes complexos. E é, particularmente, uma história sobre duas vidas tão comuns quanto singulares, duas vidas muito diferentes e intrinsecamente unidas, apaixonadas pela arte. in As Histórias de Elphaba







Quando li a sinopse deste livro, houve palavras e expressões que me chamaram a atenção, tais como “tentativa de suicídio”, “sem-abrigo” e “voluntariado”, que, juntamente com a abordagem da relação entre um pai e a sua filha me fez querer ler esta obra literária.

Eu estava certa ao ler este livro  pois, na minha opinião, “O jardim das memórias” é um livro fantástico, que nos faz pensar em tanto e nos faz sentir tanta coisa que não pensámos sentir quando pegamos  nele pela primeira vez.

Ao longo das páginas, a autora vai intercalando capítulos centrados em Eden, em adulta e em criança, com capítulos centrados na vida do seu pai, quando vivia com a sua mulher e filha e quando vivia nas ruas, como um sem-abrigo. Adorei essa forma da autora organizar a sua escrita, de maneira a que o leitor consiga pôr-se no lugar das duas personagens centrais do livro, quase como se vivêssemos o que cada um deles viveu, vendo e sentindo a forma como pai e filha sentem e reagem ao que a vida lhes reservou. Ao posicionar a sua narrativa tanto no presente como no passado, a autora ajuda o leitor a perceber o que provocou a separação e o afastamento tão prolongado de uma filha do seu pai.

Esta leitura é uma daquelas que nos faz pensar na vida e nos faz prestar atenção àquilo que realmente importa. Temas como as doenças mentais e o preconceito que há à sua volta, o alcoolismo e os sem-abrigo, estão presentes durante toda a leitura, levando o leitor a refletir sobre esses temas e a repensar a opinião que tem dos mesmos.

Esta leitura sensibilizou-me para a situação dos sem-abrigo, instigando-me a ter uma participação mais ativa na vida desse sector da população, levando-me assim a inscrever como voluntária na C.A.S.A – Centro de apoio aos sem-abrigo.


Para além de ter um óptimo enredo, o livro está escrito de uma forma simples e de fácil compreensão, nada aborrecida, tornando a sua leitura muito prazerosa. 

Inês Rodrigues

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

[Passatempo] - "Vestido para a morte" de Donna Leon


O Tertúlias, em colaboração com a Planeta, tem um exemplar do livro "Vestido para a morte" de Donna Leon, para oferecer.


Para terem a hipótese de ganhar este livro basta responderem acertadamente às questões abaixo, e claro, seguir as regras. Podem participar até ás 23h59 de dia 31 de Julho.


Se partilharem o passatempo publicamente será acrescentada uma entrada extra.


As respostas podem ser encontradas aqui.



Regras:
1) O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 31 de Julho
2) Qualquer participação que não possua algum dos dados correctamente preenchido ou contenha respostas incorrectas é automaticamente anulada.
3) OBRIGATÓRIO ser seguidor público do blogue ou seguidor via facebook   
4) O vencedor será escolhido aleatoriamente, através do Random. 
5) O vencedor será publicado no blogue e será contactado por email.  
6) É aceite uma participação por pessoa/email e residentes em Portugal (continental e ilhas)  
7) Nem eu nem as editoras nos responsabilizamos por extravios nos ctt


segunda-feira, 21 de Julho de 2014

[Fã do Mês] - Prémio de Julho


Como já sabem o colaborador do mês de Março é Agency3. Mas afinal,qual é o prémio?

A Agency3 e o tertúlias tem para oferecer ao fã de Julho....o estojo das imagens abaixo.
Giro não é? :D