quinta-feira, 14 de julho de 2016

[Novidade] - Booksmile: "Memórias de um Lobo Mau" de José Fanha e Mafalda Milhões

Memórias de um Lobo Mau
José Fanha e Mafalda Milhões

Quem disse que o Lobo Mau das histórias para os mais pequenos sempre foi mau? Não terá apenas ganhado fama? Pela mão do conhecido autor português José Fanha, o Lobo Mau vem contar a sua aventura e desmistificar a ideia de que ele sempre foi um dos vilões mais terríveis das histórias de encantar. As maravilhosas ilustrações são da premiada Mafalda Milhões.

Era uma vez um Lobo Mau... mesmo muito, muito mau!
Mas será que foi sempre assim? 

Não contes este segredo a ninguém, mas a verdade é que o Lobo Mau dos contos de fadas nem sempre foi um dos vilões mais terríveis. 

Houve tempos em que era apenas um lobo pequenote, cheio de sonhos, ambições e esperanças. O que ele queria mesmo era viajar pelo mundo e escrever a sua própria história. Mas a vida não está fácil para os lobos! 

Não acreditas? 

De aventura em aventura, entre episódios hilariantes, e outros aterradores, fica a saber toda a verdade sobre as origens do Lobo Mau, reveladas em primeira mão pelo próprio.

GRRRRRRRAAAAAAAUUUUU! 

Sobre os Autores:
José Fanha nasceu em Lisboa, frequentou o Colégio Militar e licenciou-se em arquitectura. Poeta e declamador, participou em milhares de sessões de animação cultural, acompanhando o grupo dos chamados badaleiros, juntamente com José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Francisco Fanhais, Manuel Freire, José Jorge Letria, Carlos Alberto Moniz, Fausto, entre outros.
É autor de histórias e poesia para a infância, dramaturgo, autor de letras para canções e textos para rádio, guionista de televisão e cinema. Tem dirigido oficinas de poesia e de escrita além de desenvolver trabalho intenso de divulgação de poesia e promoção do livro e da leitura em bibliotecas e escolas um pouco por todo o país. Este é o segundo livro do autor na Booksmile, Era Uma Vez Eu, saiu em 2015.

Mafalda Milhões dedica-se à ilustração, mas também é editora, livreira, curadora, autora e mediadora de leitura. Formou-se em Artes Gráficas em Tomar, é discípula de Gutemberg e uma das impulsionadoras do projecto editorial O Bichinho de Conto, agora sediado em Óbidos. A ilustração de Mafalda Milhões expressa bem as suas ideias e personalidade. É uma ilustradora de causas. A sua obra conta com várias distinções. Em 2014 foi galardoada em Espanha com o Gourmand Award na categoria Best Illustrations CookBook com o livro Maruxa (OQO, 2014). As suas imagens são de quem mastiga palavras e lê o mundo.
Para ela, ler também é ouvir, ser, estar e sentir. A Mafalda gosta de se perder pelo bosque, levar doces à avó e desenhar capuchinhos vermelhos! 

[Novidade] - Porto Editora: "A vida invisível de Eurídice Gusmão" de Martha Batalha

A vida invisível de Eurídice Gusmão
Martha Batalha

A vida da mulher que poderia ter sido

Sonhos adiados, ironia e humor em A vida invisível de Eurídice Gusmão 

No dia 7 de Julho, a Porto Editora publica A vida invisível de Eurídice Gusmão. O romance de estreia da brasileira Martha Batalha leva-nos numa viagem pelo Rio de Janeiro dos anos 40, quando ser mulher era sinónimo de ser esposa, mãe e fada do lar. 
Numa prosa repleta de humor e ironia, a autora aborda de forma perspicaz a condição feminina, personificada nas histórias das irmãs Gusmão: a brilhante e sonhadora Eurídice, educada para não desiludir a família e para servir um marido; e Guida, que desaparece de casa para poder viver um amor proibido. Através da vida destas irmãs, filhas de emigrantes portugueses, Martha Batalha retrata a classe média carioca e todas as mulheres que, pela invisibilidade e insignificância a que foram votadas, não tiveram a oportunidade de protagonizarem a sua própria história.
Inicialmente rejeitado no Brasil, A vida invisível de Eurídice Gusmão foi apresentado na Feira de Frankfurt e adquirido de imediato por várias editoras internacionais. Ainda antes da publicação no Brasil (em Abril de 2016), foi anunciada uma adaptação da obra ao cinema, cujas filmagens deverão começar em 2017.

Sinopse:
Rio de Janeiro, anos 1940.
Quando Guida Gusmão, perdida num amor proibido, desaparece da casa dos pais sem deixar rasto, a irmã Eurídice prometeu ser a filha exemplar, a que nunca faria algo que trouxesse novo desgosto aos pais. E Eurídice torna-se a dona de casa perfeita, casada com Antenor, um bom marido, apesar de tudo, ou apesar do nada em que a vida de Eurídice se tornou. A vida de Eurídice Gusmão é em muito semelhante à de inúmeras mulheres nascidas no início do século XX e educadas apenas para serem boas esposas. Mulheres como as nossas mães, avós e bisavós, invisíveis em maior ou menor grau, que não puderam protagonizar a sua própria vida.
Capaz de abordar temas como a violência, a marginalização e até a injustiça com humor, perspicácia e ironia, Marta Batalha é acima de tudo uma excelente contadora de histórias que tem como principal compromisso o prazer da leitura.

Primeiras Páginas:
Disponíveis aqui.

Sobre a Autora:
Martha Batalha, licenciada em jornalismo com especialização em literatura, trabalhou nos principais jornais do Rio de Janeiro. Depois de alguns anos a trabalhar como repórter, abriu a sua própria editora, a Desiderata. Após a publicação de alguns bestsellers, Martha Batalha vende a editora e muda-se para Nova Iorque onde prossegue os estudos e obtém a bolsa Oscar Dystel para um mestrado em edição, área em que trabalha durante algum tempo antes de se dedicar à escrita.
A Vida Invisível de Eurídice Gusmão é o seu primeiro romance.
Martha vive em Santa Monica, Califórnia, com o marido e dois filhos.
 

sexta-feira, 1 de julho de 2016

[Novidades] - Marcador: Julho 2016

Deixei-te Ir
Clare Mackintosh

Mais de 5 milhões livros em todo o mundo

«Arrepiante, envolvente e surpreendente!» 
Paula Hawkins, autora de A Rapariga no Comboio

Sinopse:
Numa fracção de segundos, um acidente trágico faz desabar o mundo de Jenna Gray, obrigando uma mãe a viver o seu pior pesadelo. Nada poderia ter feito para evitar esse acidente.
Ou poderia? Essa é a pergunta que a inquieta quando tenta deixar para trás tudo o que conhece, procurando um novo recomeço refugiada num chalé isolado na costa de Gales.

Também o detective Ray Stevens, responsável pela investigação por este caso que procura a verdade, começa a ser consumido pela sua entrega ao mesmo, deixando a vida pessoal e profissional à beira do precipício.
À medida que o detective e a sua equipa vão juntando as pontas do mistério, Jenny, lentamente, permite-se vislumbrar uma luz de esperança no futuro, o que lhe dá alguma segurança, mas é o passado que está prestes a apanhá-la, e as consequências serão devastadoras.

Sobre a Autora:
Clare Mackintosh passou doze anos na força policial, incluindo o período em que esteve no Departamento de Investigação Criminal como comandante da ordem pública. Deixou a polícia em 2011 para trabalhar como jornalista e consultora para a Comunicação Social, e é a fundadora do Festival Literário de Chipping Norton. Neste momento, é escritora a tempo inteiro e vive em Cotswolds com o marido e os seus três filhos.
É patrona da Silver Star Society, uma instituição de caridade com sede em Oxford que apoia o trabalho desenvolvido pela unidade da Silver Star dentro do Hospital John Radcliff, no fornecimento de cuidados especializados às mães com complicações de saúde durante a gravidez.

Argumentos de Venda:
  • Mais de 5 milhões livros em todo o mundo
  • #1 bestseller do Sunday Times 
  • #1 bestseller Amazon.co.uk 
  • #1 bestseller Waterstones

Sobre o Livro:
Autor: Clare Mackintosh
Género: Biografia/Literatura
Público: público em geral
N.º de Páginas: 360 pp.
PVP: 17,50€
Data de lançamento: 06-07-2016


Naquela Ilha
Ana Simão

Da Autora de "A Menina dos Ossos de Cristal"
 
«Há ilhas que vale a pena visitar. Esta é, não tenho dúvidas, uma delas. Boa viagem.»
 PEDRO CHAGAS FREITAS


Uma ilha onde nada acontece.
Uma premonição.
Um destino implacável.
Uma jovem apaixonada por um homem mais velho.
Um farol cheio de segredos.
Uma história única.

O QUE SEPARA UM AMOR DO RESTO DO MUNDO?
«Parece que ainda estou a ouvir aquela voz nova. Fecho os olhos e procuro-a dentro de mim. Consigo escutá-la. Gosto dela. É uma voz rouca de mel, serena e macia. Foi a única voz que ouvi quando regressei a mim. Estava tão perto e as outras tão longe. Não sei quanto tempo estive ausente, mas foi aquela voz que me trouxe à vida. Nunca a vou esquecer. Nem quero. Percebi naquele instante que estava viva e em segurança. E isso foi bom. Não sei quem é. Queria tanto agradecer-lhe: salvou-me a vida. Não sei como o vou encontrar.Já perguntei, mas ninguém sabe.»

Sobre a Autora:
Ana Simão nasceu em Santarém. É licenciada em Gestão de Recursos Humanos. Trabalhou na Câmara Municipal de Santarém, nas áreas da cultura, do turismo e da acção social. 

É autora  do bestseller A Menina dos Ossos de Cristal  e desenvolve  acções de sensibilização em escolas, sobre as questões da deficiência. 

Naquela Ilha - Todos somos pedaços de um amor maior é a sua estreia no romance de ficção. 

Argumentos de Venda:
  • Autora bestseller A Menina dos Ossos de Cristal
Sobre o Livro:
Autor: Ana Simão
Género: Romance - Ficção
Público: público em geral
N.º de Páginas: 224
PVP: 15€
Data de lançamento: 6 de Julho

Vertigem Assassina
Nelson DeMille

O PASSADO ESTÁ DE VOLTA PARA O CONFRONTO FINAL

O mais recente thriller da série Jonh Corey
Depois de um embate com um famigerado terrorista conhecido como O Leopardo, Jonh Corey saiu da Unidade Antiterrorista e regressou a casa, na cidade de Nova Iorque. Arranjou emprego no Grupo de Vigilância Diplomática (DSG). Embora se pense que a nova tarefa de Corey no DSG – vigiar diplomatas russos que trabalham na missão da ONU – é um «trabalho calmo», ele não se importou nada de se livrar das garras do FBI, libertando-se da burocracia da vida de escritório. 
Corey apercebe-se, contudo, de algo que o Governo dos Estados Unidos deixou escapar: a ameaça bem real de uma Rússia está a ressurgir.

Quando Vasily Petrov, coronel dos serviços de informações externas russos que finge ser diplomata, desaparece de uma festa em casa de um oligarca russo, em Southampton, é Corey quem tem de o encontrar. O que andarão os russos a tramar, e porquê? Haverá a possibilidade de uma ameaça nuclear? Será que Corey irá, por fim, ser ultrapassado e ludibriado, ficando a América sujeita a um ataque mais nefasto do que tudo aquilo por que já passou?

«O LIVRO DO ANO»  
Los Angeles Times
«DeMille É O MESTRE DO THRILLER INTELIGENTE.»  
Dan Brown
Sobre o Autor:
Nelson DeMille nasceu na cidade de Nova Iorque em 1943. Em 1978 publicou o seu primeiro grande romance By the Rivers of Babylon, que foi um sucesso comercial junto da crítica. Desde então escreveu mais catorze romances e passou bons bocados a criar as suas personagens de John Corey. Construiu uma carreira literária marcada por enormes sucessos mundiais. Todos os seus livros chegaram ao primeiro lugar do The New York Times e da Publishers Weekly, tendo totalizado, em conjunto, 380 semanas na lista dos mais vendidos. É um dos três escritores que mais vendem em todo o Mundo, com mais de 100 milhões de livros vendidos. Os seus romances têm sido amplamente aclamados pelo público e pela crítica.

Sobre o Livro:
Título: Vertigem Assassina
Autor: Nelson DeMille
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 304
PVP: 17,70€  
De Primatas a Astronautas
Leonard Mlodinow

Este livro é uma obra para os amantes da ciência, mas também para todos os que se interessam pelo pensamento criativo na busca constante do entendimento do nosso mundo. Um trabalho perspicaz e um tributo admirável à nossa curiosidade intelectual.
De Primatas a Astronautas, explora tanto as condições culturais que influenciaram o pensamento científico através dos tempos, como as singulares personalidades de alguns dos grandes filósofos, cientistas e pensadores: Galileu, que preferia a pintura e a poesia à medicina e que acabou por abandonar a universidade; Isaac Newton, que espetava agulhas de coser nos olhos para melhor entender as alterações da luz e da cor. Charles Darwin, Albert Einsten e muito outros menos famosos, mas igualmente brilhantes, pululam também por estas páginas, e cada uma das suas histórias mostra os trunfos do ser humano.
«Um relato fascainante da história da ciência… Mlodinow fornece uma imensidade de pedras de toque culturais e conta-nos histórias pessoais, comoventes e divertidas, sobre as suas experiências enquanto físico teórico, de forma a conduzir-nos para ainda mais perto da história.»
THE WASHIGTON POST

«Mlodinow nunca falha na tarefa de tornar a ciência tão acessível quanto divertida.»
STEPHEN HAWKING

Sobre o Autor:
LEONARD MLODINOW é físico e escritor. Nasceu em Chicago, Illinois, em 1959, filho de pais sobreviventes do Holocausto. O pai, que esteve mais de um ano no campo de concentração de Buchenwald, fora um líder da resistência judaica ao regime nazi na sua cidade natal de Częstochowa, na Polónia. Em criança, Mlodinow interessou-se tanto pela matemática, como pela química e, ainda no liceu, estudou química orgânica com um professor da Universidade de Illinois. Além da sua investigação e dos livros sobre ciência popular, escreveu também o argumento do filme Beyond the Horizon e foi guionista de várias séries de televisão, entre elas Star Trek: A Nova Geração e MacGyver. Escreveu em co-autoria com Matt Costello uma colecção de livros infantis intitulados The Kids of Einstein Elementary. Entre 2008 e 2010, Mlodinow trabalhou com Stephen Hawking num livro intitulado The Grand Design e, em 2012, lançou Subliminar - Como o inconsciente controla o nosso comportamento, também publicado pela Marcador Editora.

Sobre o Livro:
Título: Dos Primatas aos Austronautas
Autor: Leonard Mlodinow
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 360pp
Formato: 15,5X23,5cm
PVP: 18,95€

Destinos em Falta para o Passageiro Distraído
Luís Filipe Borges
  
Quando Luís Filipe Borges se mudou da ilha Terceira para Lisboa, aos 18 anos, «sentindo-se cidadão de nenhures», viu uma frase escrita nas paredes de azulejo do Metro que lhe tem servido de inspiração: «Não sou ateniense nem grego, mas sim um cidadão do mundo.» Nas duas décadas seguintes, como escritor, cronista, comediante ou apenas enquanto turista, viajou pelo planeta sempre que pôde . não engrossando as fileiras do turismo de massas nem como viajante profissional, mas permanentemente com um olhar atento e uma grande disponibilidade para conhecer o outro, encontrar histórias e perceber o que se passa ao seu redor.

«A vida é demasiado breve para beber mau vinho e o nosso bairro demasiado modesto para lá caber o mundo.»
Luís Filipe Borges

Este livro é feito de relatos viagem, cheios com dicas pertinentes e observações hilariantes para os aventureiros que se jogam no mundo – sejam eles estratagemas para quem tem medo andar de avião ou truques para fazer a mala.

De Nova Iorque – onde onde bebeu uns copos com os actores Sopranos – às aventuras nocturnas em Cuba, dos festivais de comédia em Itália ao Brasil descoberto através da música, sem nunca esquecer o regresso aos Açores da sua infância e o olhar apaixonado, mas jamais acrílico sobre Portugal e os Portugueses. Luís Filipe Borges não se limita a contar o que vê: mergulha de cabeça onde quer que vá.
Sobre o Autor:
LUÍS FILIPE BORGES, comediante, argumentista, apresentador, açoriano, benfiquista, não necessariamente por esta ordem. Tem um louvor da Faculdade de Direito de Lisboa, uma Bolsa de Nova Dramaturgia pela Fundação Gulbenkian, o Prémio de Melhor Guião no 48 Hour Film Festival, um sinal de nascença gigantesco no pescoço e um gato chamado Haruki. Conduziu «A Revolta dos Pastéis de Nata», «Sempre em Pé», «5 para a Meia-Noite», «COOLi», «Conta-me História». Escreveu para os supracitados e, ainda, para: «Zapping», «Fenómeno», «Liberdade XXI», «Grandes Livros», «Manobras de Diversão», «Não Me Sai da Cabeça», «Levanta-te e Ri», «Aqui tão Longe» e «Conta-me como Foi». Colaborou com o SOL, a Maxmen, A Bola, DN e A Capital, o Rádio Clube Português e a Antena 3. Está publicado, além deste, em 23 livros: cinco a solo, e em 18 antologias dos mais variados géneros – do humor ao teatro, passando pela crónica, o conto e aforismos.

Sobre o Livro:
Título: Destinos em Falta Para o Passageiro Distraído
Autor: Luís Filipe Borges
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 208pp
Formato: 15,5X23,5cm
PVP: 17,50€

[Novidade] - Booksmile: "Óscar" de William Bee

As rotinas proporcionam às crianças a estabilidade necessária para explorar os desafios do dia a dia. E os mais pequenos vão adorar ouvir as histórias do Óscar. Com as suas diferentes profissões, e graças às tarefas diárias do Óscar, os mais pequenos vão aprender o valor da amizade e da entreajuda.

O Óscar é um hamster muito atarefado. Mas há sempre um amigo pronto a ajudá-lo. E é tão bom chegar ao final do dia com a sensação de dever cumprido! Esta nova colecção é ideal para pais e educadores poderem explorar com os mais pequenos as profissões e descobrir o quanto é importante estabelecer rotinas. É, também, uma colecção ideal para profissionais que trabalham com crianças com necessidades especiais.

Hoje é um dia especial no Café do Óscar. Um dos seus amigos faz anos e é preciso preparar a festa. Vai ser um dia em cheio! 

Em Óscar, o construtor, o Óscar tem um trabalho muito importante: construir a casa nova da amiga Rosita. O Carlitos vai ajudar, mas há tanto para fazer! 

Em Abril, a Booksmile lançou os dois primeiros títulos desta divertida e pedagógica colecção – Óscar, o Agricultor e A Garagem do Óscar

Sobre o Autor:
William Bee é artista e designer. Nasceu na cidade de Londres, mas agora vive
no campo, em Inglaterra.
Para além de escrever livros para crianças, corre num carro desportivo antigo, é
esquiador internacional, e quando está em casa gosta de tratar do seu jardim.
Mais sobre William Bee em: williambee.blogspot.pt

Sobre o Livro:
Título: Óscar
Nº de Páginas: 32 pp
PVP: 8,29€
Lançamento: Saída 4 de julho 

[Novidade] - Bertrand: "O Advogado Mafioso" de John Grisham

O Advogado Mafioso
John Grisham

Por vezes é preciso jogar sujo para se fazer justiça 

Lisboa, 28 de Junho de 2016 – John Grisham está de volta com um thriller judicial de leitura absolutamente viciante, no qual o protagonista – Sebastian Rudd – é um advogado pouco comum: «A única alternativa honrosa para um advogado empenhado em salvar um cliente inocente é enganar na defesa». É assim que se apresenta o protagonista de O Advogado Mafioso, o nono romance a ser publicado pela Bertrand Editora da autoria do aclamado escritor best-seller.

O Advogado Mafioso chega às livrarias no dia 1 de julho. Uma obra que se constrói nas sombras da lei e na zona cinzenta da moral e da ética. «Sou pago pelo Estado para proporcionar uma defesa de primeira classe a um arguido acusado de homicídio, e isso exige que eu lute com todas as forças e arme uma barafunda dos diabos numa sala de audiências onde ninguém me está a ouvir», diz Sebastian Rudd, que para fazer justiça socorre-se de todos os meios necessários, até mesmo fazer batota.
Sebastian Rudd é um herói pouco convencional, mas astuto; trapaceiro, porém justo. «Uma espécie de justiceiro solitário» nas palavras de John Grisham. 

John Grisham é o autor mais popular da América e um dos mais populares do mundo, com mais de 300 milhões de exemplares vendidos e traduzido para 40 línguas. Os seus títulos foram por diversas vezes nº 1 do The New York Times. É, igualmente, em Portugal um autor de grande sucesso. 

Sinopse:
Do lado certo da lei. Mais ou menos.
 
Sebastian Rudd não é um advogado vulgar. Tem o seu escritório numa carrinha à prova de balas, munida de wi-fi, um bar, um pequeno frigorífico, estofos de cabedal, um compartimento secreto para a arma e um motorista armado até aos dentes. Não pertence a uma firma, não tem sócios, nem associados. O seu único funcionário, o motorista, é também seu guarda-costas, administrativo, confidente e caddy no golfe. Vive sozinho numa penthouse pequena mas extremamente segura e a sua principal peça de mobiliário é uma mesa de bilhar vintage. Bebe bourbon e anda armado.

Sebastian defende pessoas de quem os outros advogados nem sequer se aproximariam: um miúdo cheio de tatuagens na pele e drogas no corpo que diz pertencer a um culto satânico, acusado de abusar sexualmente de duas meninas e de as matar; um perverso chefe do crime que agora se encontra no corredor da morte; um homem preso por disparar contra uma equipa das forças especiais SWAT que lhe invadiu a casa por engano. Porquê estes clientes? Porque ele acredita que toda a gente tem direito a um julgamento justo, mesmo que para tal ele, Sebastian, tenha de fazer batota. Detesta injustiças, não gosta de seguradoras, bancos ou grandes multinacionais; desconfia do governo a todos os níveis e ri-se do conceito de ética do sistema judicial. 

Sobre o Autor:
John Grisham é autor de quase trinta romances, uma obra de não ficção, uma colecção de contos e cinco livros para jovens. Vive na Virgínia e no Mississippi. www.jgrisham.com 

Sobre o Livro:
Género: Thriller
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 352
Data de lançamento: 01 de julho de 2016
PVP: € 17,70
ISBN: 978-972-25-3207-5 

terça-feira, 28 de junho de 2016

[Novidade] - Livros do Brasil: "O Imenso Adeus" de Raymond Chandler

O Imenso Adeus
Raymond Chandler

Policial de Raymond Chandler em nova edição na colecção Vampiro

A 7 de julho, a Livros do Brasil lança o quarto título da renovada colecção Vampiro, o incontestável clássico da literatura policial O Imenso Adeus, de Raymond Chandler. Publicado originalmente em 1953, O Imenso Adeus é considerado pela crítica o mais ambicioso romance de Raymond Chandler e aquele que mais inequivocamente dá provas de que o seu talento literário se estendia muito além da simples construção de um mistério policial.

Em O Imenso Adeus, o protagonista Terry Lennox parece estar finalmente a deixar para trás os dias de torpor alcoólico, quando a sua mulher milionária aparece morta. Obrigado a abandonar Los Angeles a toda a pressa, recorre àquele que sabe ser o seu único amigo: Phillip Marlowe, detetive privado. Marlowe está decidido a ajudar um amigo em apuros, mas logo lhe chegam notícias de que Lennox se suicidara no México e tudo se torna ainda mais negro. Marlowe vê-se arrastado para um ambiente sórdido de ricos adúlteros e alcoólicos, que desfilam aos tombos pelo elegante e soalheiro Idle Valley de LA. Está convencido de que Lennox não matou a mulher, mas com quantos mais cadáveres terá de se deparar antes de descobrir a verdade?

Sobre o Autor:
Raymond Chandler nasceu em Chicago em 1888. Aos oito anos, mudou-se com a mãe para Inglaterra, regressando aos Estados Unidos em 1912. Combatente da Primeira Guerra Mundial, fixou-se depois do armistício em Los Angeles, onde desempenhou funções como administrador em empresas petrolíferas. Aos 44 anos, em 1932, perde o trabalho na sequência da Grande Depressão e, inspirado pela leitura da revista Black Mask, decide escrever a sua primeira história policial, «Blackmailers Don’t Shoot», revelada naquela publicação em
1933. À Beira do Abismo, o seu romance de estreia, é publicado em 1939, apresentando a personagem do lendário detective privado Philip Marlowe, herói também dos outros seis livros que publicou em vida, entre os quais se destacam A Dama do Lago (1943) e O Imenso Adeus (1953). Considerado um dos fundadores da escola hard-boiled a par de Dashiell Hammett, Chandler tornou-se referência máxima da literatura policial realista, teve as suas obras repetidamente adaptadas ao cinema e a sua escrita influenciaria as convenções do género até aos dias de hoje. Faleceu a 26 de março de 1959, em La Jolla, Califórnia.

[Novidade] - Clube do Autor: Novo livro da série CASTLE nas livrarias


Estes dias têm estado muito quentes mas também há emoções a fervilhar No Calor da Noite. Este é já o terceiro livro do protagonista da série de TV Castle. Depois dos volumes anteriores, que têm igualmente como personagens centrais Richard e kate, No Calor da Noite narra a nova aventura de Nikki Heat, determinada e ousada, tão fascinante e bem-humorada como a série em exibição no AXN. Nikki Heat foi afastada da polícia e embarca sozinha numa investigação. Só James Rook a poderá ajudar a recuperar o seu distintivo, fazendo aumentar a temperatura da sua relação.

Olá, sou Richard Castle e recomendo a leitura deste livro!

[Novidades] - Guerra & Paz: 29 Junho 2016

Vamos abrir um buraco no cadáver de Fernando Pessoa e vamos abrir um buraco no cadáver de Miguel de Unamuno. Para quê abrir buracos em cadáveres, perguntarão os leitores? Para lhes insuflar vida, responde a Guerra e Paz Editores.

Tomemos nos braços o cadáver de Pessoa, o seu «Banqueiro Anarquista», por exemplo. O que acontecerá se, por esse buraco, lhe insuflarmos o sopro da boca de Oscar Wilde chamado «A Alma do Homem sob a Égide do Socialismo»? Arranquemos ao túmulo, piedosamente, o cadáver do espanhol Miguel de Unamuno pegando-lhe pelo buraco que dá pelo nome de «Portugal, um povo suicida» e disparemos lá para dentro o tiro que espatifou os miolos do português Manuel Laranjeira e a que ele chamou «Pessimismo Nacional». Há mais vida num tiro suicida do que numa longa existência canalha!

De que morte e de que vida é que estamos a falar? Estamos a falar de textos que o respeito atirou para um cemitério chamado literatura. A melhor forma de matar um texto, a melhor forma de matar a criação é catalogá-la e engavetá-la.

Matemos a morte, regressemos à vida! Para dar vida a contos, a romances, a poemas e a ensaios é necessário abrir-lhes um buraco por onde entrem outros textos. A melhor forma é rasga-los à discussão. A melhor forma é pintá-los a uma cor inesperada e insólita.

Hoje, a Guerra e Paz inicia uma viagem de devassa ao cemitério que é o património literário da humanidade. É mentira, os textos não estão mortos. Às nossas escondidas, nos escusos vãos das bibliotecas, os textos literários fazem uns com os outros coisas inconfessáveis. Era preciso caçar-lhes essas relações clandestinas. A Guerra e Paz editores criou o paparazzo da história da literatura e do pensamento. Chama-se Livros Amarelos e é uma nova colecção. A colecção que revela as relações comprometedoras de textos célebres.

Célebres, célebres, muito bons, muito bons, mas metidos a um canto, e isso é exactamente o que esta colecção quer veementemente rejeitar, contrariar e desmentir. Livros Amarelos é uma colecção de textos que se erguem de um salto, afectivamente activos.

Esta é uma colecção que, ao contrário de muitos planetas e de tantas estrelas, se pode ver à vista desarmada. São livros de 15 por 21 centímetros e são amarelos. Completamente amarelos e pintados à mão nas três faces do miolo. Custa um dinheirão ao editor? Custa, mas é bonito que se farta. E não são só livros bonitos. A Guerra e Paz rasgou-lhes a beleza, com um corte elíptico e alongado que deixa ver uma faísca de vermelho ou verde ou azul, conforme a cor que as guardas do livro, debaixo da capa, venham a ter.

São os Livros Amarelos, amarelos por serem voyeurs, amarelos em vénia à Yellow Book, a revista que, na Londres do século XIX, foi o primeiro sopro de vida desse modernismo que ainda hoje, no século XXI, se nos cola à pele, como grafismo de Ilídio Vasco, autor do design, grita nestes livros.

Saem, agora, os dois primeiros. Num, o «Banqueiro Anarquista», de Fernando Pessoa, dialoga com «A Alma do Homem Sob a Égide do Socialismo», de Oscar Wilde. Entre os dois textos, intrometem-se 60 páginas com a biografia dos autores e um texto que vai por trás do anarquismo dos autores, tortura-os com perguntas e tenta desesperadamente estabelecer as relações deles. Escreve-o Manuel S. Fonseca.

O outro livro junta «O Pessimismo Nacional», de Manuel Laranjeira, insólito médico e autor português, que escreveu uma carta ao amigo espanhol Miguel de Unamuno e a seguir se suicidou, levando o perplexo filósofo espanhol, em «Portugal, um Povo Suicida», a desesperar face à psicologia dos portugueses, esse povo vizinho que tem na morte a solução para a crise espiritual e a bancarrota financeira. Passaram cem anos e podia ser hoje, é o que Helder Guégués também diz no texto em que ressuscita o suicida português e o anti-falangista espanhol.

Nasceu uma nova colecção, os Livros Amarelos. Em cada livro dois textos de dois grandes autores. Podem ser novelas, contos, poemas ou ensaios. Um intrometido «estudo» contemporâneo virá sempre lançar a rede que liga esses dois textos clássicos. Em Setembro, o próximo livro, amarelíssimo, juntará «A Célebre Rã Saltador do Condado de Calaveras», de Mark Twain, e «Rikki-Tikki-Tavi», de Rudyard Kipling. Mark Twain e Kipling trazem rãs, cães, cavalos, ratos-alfaiates e najas, as cobras-capelo. E um mangusto. O mangusto, já se sabe, tem bons dentes e é imune ao veneno das cobras mais peçonhentas. Saídos do cemitério e regressados à vida, é mesmo de um mangusto que os proteja que os Livros Amarelos estão a precisar: bem vindos ao século XXI.

Modo de uso dos Livros Amarelo:
 
Toque-lhes. O amarelo não se pega.
Compre-os. É uma forma legítima e desejável de posse.
Meta o dedo. É irresistível, o cortante da capa abre uma fenda que apetece tactear.
Abra-os. Têm segredos que só quem vai lá dentro descobre.
Leia-os. Os seus olhos são o violino que dá música à sua alma.

O Banqueiro Anarquista / A Alma do Homem Sob a Égide do Socialismo
Fernando Pessoa/Oscar Wilde 

Sinopse:
Um livro atravessado por duas ideias de anarquismo. No conto de Fernando Pessoa, o anarquismo é o espantalho que um banqueiro atira ao ar e volta a apanhar. No manifesto de Oscar Wilde, o anarquismo é a nuvem de harmonia que conduz ao Individualismo no qual o homem atinge a perfeição. O Banqueiro Anarquista de Pessoa é um prodígio de ironia, A Alma do Homem sob a Égide do Socialismo é a exaltação da Beleza.

Da Colecção:
Livros Amarelos. Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros. livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres.
 
Pessimismo Nacional / Portugal, um Povo Suícida
Manuel Laranjeira/Miguel De Unamuno

Sinopse:
Miguel de Unamuno, pensador e escritor espanhol, espantava-se com a vocação suicida dos portugueses: Antero de Quental suicidara-se, Camilo e Soares dos Reis suicidaram-se. Num só ano suicidaram-se mais três portugueses seus amigos. Outro, Manuel Laranjeira, escreveu-lhe uma carta desesperada: «Neste malfadado país, tudo o que é nobre suicida-se; tudo o que é canalha triunfa!» Três meses depois, Manuel Laranjeira suicidava-se com um tiro na sua cabeça portuguesa. Este livro é o dramático diálogo entre o pessimismo português e o espanto espanhol. Ajuda-nos a conhecer o nosso passado recente e acaba com todas as ilusões: «Ou nos salvamos nós, ou ninguém nos salva.»  

Da Colecção:
Livros Amarelos. Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros. livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres.

Mas os seus pulmões precisavam ainda de mais calor. Viajou, por isso, em 1888, para os Mares do Sul. Ficou a morar em Samoa. Os nativos gostaram dele. Sabia contar uma história e eles gostavam de o ouvir. 

[Novidades] - Planeta: 29 Junho 2016

A Rapariga do Calendário
Audrey Carlan

O FENÓMENO DO ANO!

O novo fenómeno erótico, após 
As Cinquenta Sombras de Grey.
 
Uma nova história de êxito na auto-publicação.

Mais de 2.500.000 exemplares vendidos da série nos EUA.

1.º LUGAR NO TOP DO THE NEW YORK TIMES, DURANTE 4 SEMANAS.

Direitos do livro vendidos para 27 países e para série televisiva.

Audrey Carlan começou por escrever esta série todas as noites, depois de deitar os filhos.
Autopublicou online o seu primeiro livro, em Agosto de 2015.
O sucesso foi imediato.
 
A editora norte-americana Waterhouse descobriu o fenómeno e publicou-o em livro - em quatro volumes -, tendo alcançado os tops de venda mais importantes, como o The New York Times e USA Today.

1.º LIVRO – 29 Junho
2.º LIVRO – 20 Julho
3.º LIVRO – Setembro 

4.º LIVRO – Outubro

12 MESES. 12 CLIENTES. 1 AMOR

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. 1 milhão de dólares, para ser exacto.
A vida do seu pai depende do pagamento desta dívida de jogo a um agiota. Tem um ano para a pagar e só vê uma solução: um trabalho bem remunerado como acompanhante de luxo.
A sua missão é passar um mês com um cliente diferente, durante um ano. E o seu plano é entrar no jogo, conseguir o dinheiro e voltar a sair. Parte do plano é manter o coração fechado a sete chaves e os olhos no objectivo.
Pelo menos é como espera que corra.
Doze meses em que conhecerá o luxo, doze homens com doze estilos de vida, doze cidades diferentes, experiências sexuais e o amor da sua vida.

Uma série sedutora, doce e tão escaldante que o seu livro pode derreter. 

«Fresca, divertida, e incrivelmente sexy, a série A Rapariga do Calendário vai
fazer com se apaixone uma e outra vez e morra de ansiedade por ler o próximo volume.» 
Meredith Wild, autora da série Hacker, n.º1 do The New York Times

Sobre a Autora:
Audrey Carlan é autora best-seller do New York Times, USA Today, e Wall Street Journal. Escreve histórias de amor sensuais e eróticas de forma a dar ao leitor uma experiência romântica e sexy. Vive em California Valley com os dois filhos e o amor da sua vida. Quando não escreve, ensina ioga, bebe vinho com suas souls sisters ou está com o nariz enfiado num romance ímpio.

Acredite: a Vida é uma Sinfonia Perfeita
Padre Ângelo Martins

Livro espiritual e intimista que resulta de um blogue de sucesso.

Num registo intimista e surpreendentemente sincero, o padre Ângelo escreve a sua alma. Fazendo «a ponte entre Deus e os homens», o jovem sacerdote não só manifesta a sua intensa dedicação a Jesus, como contagia os leitores com as suas palavras de devoção, conforto, esperança e compaixão.
Porque, como sublinha, «a vida é uma sinfonia perfeita».

Através de reflexões francas, desabafos comovedores, orações dedicadas, esta obra evidencia uma ideia simples, mas da qual tantas vezes nos esquecemos: viver, com amor a Cristo e com o amor de Cristo, é maravilhoso.

Um livro invulgar e, sobretudo, inspirador, com textos publicados desde 2006 no seu blogue pessoal: oblogdoangelo.blogspot.com
Inclui ainda textos inéditos da peregrinação que este padre fez a Fátima, em Maio deste ano.

DEVE LER ESTE LIVRO PORQUE É:
Original: um padre a escrever, primeiro num blogue, depois um livro. Intimista: revela sentimentos e opiniões (começa logo por dizer como se tornou padre, assumindo ter namorado muito.)
Inspirador: fala da sua fé e do seu amor por Deus.
Orientador: guia os crentes para sentimentos e formas de pensar católicas; contém orações pessoais.
Cativante: deixa de lado o registo teológico formal e assume um mais pessoal e terra-a-terra, numa escrita fácil, fluida e ritmada.
Positivo: o tom geral é de optimismo e alegria de viver, e amor ao próximo e a Deus.
 
Prefácio da obra da autoria de D. Manuel Felício, bispo da Guarda.
 
Sobre o Autor:
Ângelo Miguel Nabais Martins nasceu na Cova da Piedade, a 1 de Julho de 1981. Ingressou no Seminário Maior da Guarda em 1996; licenciou-se em Teologia no Instituto Superior de Teologia das Beiras e Douro em 2005; dez anos depois concluiu o Mestrado em Ciências Religiosas na Universidade Católica de Lisboa.

Em 2004 decidiu viajar até Angola. Junto da comunidade Salesiana de S. Paulo, em Luanda, desempenhou variadas tarefas de voluntariado para ajudar os mais fragilizados e desprotegidos. «Sujar os pés em nome de Jesus», cita, ao recordar esta fase da vida. 
Seduziste-me Senhor, e eu deixei-me seduzir (Jer 20,1) é o lema escolhido para orientar a sua vida sacerdotal desde 2 de Julho de 2006, dia que assinala a Ordenação, na Sé da Guarda.

É pároco de 12 paróquias, nos Arciprestados do Rochoso, Guarda e Almeida, missão que gosta de desempenhar com um «sorriso na cara». Dirige o Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Conceição (Castanheira), é professor de Eduação Moral e Religiosa Católica na Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca (Cerdeira do Côa), director do Secretariado Diocesano das Missões, coordenador pastoral da Zona Centro da Diocese da Guarda e arcipreste do Rochoso.

Criou oblogdodoangelo em 2005 para partilhar o que lhe vai na alma e para «chegar às pessoas que não estão nas igrejas». Entende que pode ajudar os seus leitores a confiar no Senhor. Por isso, escreve mensagens de esperança, que mostram quem é Deus e o que faz o amor de Deus no coração da Humanidade. Porque, diz, «inebriar pela palavra é o caminho».


A Feiticeira do Ar 
Tea Stilton 

Acaba de chegar o 12.º volume de mais uma emocionante
aventura da série Princesas do Reino da Fantasia, que conquistou o coração de muitas jovens leitoras.

Após a derrota do Príncipe sem Nome, as princesas têm de enfrentar um novo e aguerrido inimigo: as Feiticeiras Cinzentas.

Antigas aliadas do Rei Malvado, estas criaturas sem tempo estão determinadas a combater as Princesas com as armas da Magia sem Cor.

Numa batalha sem precedentes, as cinco filhas do Rei Sábio irão descobrir que algo no passado das feiticeiras, um segredo escondido no tempo, será revelado para as poder derrotar.

Neste novo livro, uma nuvem avança no horizonte, engolindo tudo o que encontra à sua frente. 
Sulfúrea, a Feiticeira do Ar e Senhora das Essências, está pronta para lançar o seu ataque e enfrentar as princesas num desafio até ao último feitiço.

Uma clássica luta entre o Bem e o Mal, recheada de valores de solidariedade, bravura e romantismo, onde o amor à natureza, a fraternidade e a valentia vencem os maiores obstáculos.

Recomendado para crianças a partir dos 8 anos.
 
Este livro, tal como os anteriores da série, é ilustrado a preto e branco, e inclui dezasseis páginas a cores com todos os segredos da Rainha.

E há mais uma surpresa: a parte interior da sobrecapa transforma-se num fantástico poster da Feiticeira.

Mais de 40.000 exemplares vendidos em Portugal desta colecção.

Desta colecção Princesas do Reino da Fantasia fazem parte os seguintes livros:
Princesa dos Gelos;
Princesa dos Corais;
Princesa do Deserto;
Princesa das Florestas;
Princesa da Escuridão;
Rainha do Sono;
Feiticeira das Marés;
Feiticeira das Chamas;
Feiticeira do Som;
Feiticeira das Tempestades,
Feiticeira das Cinzas.

Diário de um Aldeão Caloiro
Uma aventura Minecraft não-oficial

O HILARIANTE DIÁRIO ÍNTIMO DE UM JOVEM ALDEÃO
DO MINECRAFT QUE QUER TORNAR-SE UM GUERREIRO!

Uma narrativa recomendada para os mais novos, que são fãs e jogadores do mais famoso videojogo.
 
«Na noite passada, tive um sonho alucinante. Os aldeões tinham formado um exército, e eu fazia parte dele. Fitava os endermen mesmo nos olhos. Parei a flecha de um esqueleto só com as mãos. Ceifava zombies como um lavrador apanha beterrabas. E, para cúmulo de tudo isso, atirei um creeper para o céu com um único golpe. Pois, é esse o género de herói que eu quero ser. Mas foi só um sonho...»
 
Minus tem doze anos, entra no colégio de Minecraftia e está destinado a tornar-se lavrador, ferreiro ou magarefe, como todos os aldeões...
 
Mas o sonho dele é vir a ser um aventureiro e combater os monstros que atacam a aldeia sem cessar. Por isso, quando sabe que os cinco melhores alunos do colégio poderão seguir uma formação de guerreiro, Minus está decidido a fazer parte deles. 
 
A competição será dura, mas Minus está disposto a tudo: este ano, mais ninguém lhe chamará caloiro!

Os Esqueletos Contra-Atacam
Winter Morgan

Chega agora o quinto livro com mais uma aventura incrível passada no inquietante mundo de Minecraft.

Com mais de 50 milhões de jogadores registados,
Minecraft é o jogo da moda e o terceiro mais vendido de sempre. 

Uma narrativa recomendada para os mais novos, que são fãs e jogadores do mais famoso videojogo.
 
CONSEGUIRÁ STEVE E OS AMIGOS TRAVAR A INVASÃO DOS ESQUELETOS?
 
Steve e os amigos estão a tentar salvar a colheita de trigo dos ataques dos mobs quando a sua velha amiga Georgia vem pedir-lhes ajuda. A aldeia da Georgia está a sofrer um terrível ataque de esqueletos!
 
Eles aparecem ao anoitecer e ninguém pode ir dormir sem correr o risco de morrer. Steve e o grupo decidem ajudar, mas a viagem até à aldeia de Georgia não é nada fácil – principalmente com uma nova horda de griefers arco-íris a segui-los!
 
Chegados à aldeia, correm rumores de que existe uma quinta de esqueletos nas redondezas, nas masmorras de um antigo castelo, a ser explorada pelos griefers arco-íris, para ficarem com os ossos que os esqueletos largam...
Será a invasão dos esqueletos parte de um plano maléfico mais vasto por parte dos griefers?
 
O grupo tem de perceber quem são os verdadeiros inimigos, antes de poderem ganhar a batalha.
Deverão atacar primeiro os esqueletos? Ou travar os griefers?
Descobre, neste emocionante 5º episódio da Incrível Aventura de Minecraft.
 
Títulos já publicados da colecção:Em Busca da Espada de Diamante
O Mistério da Marca do Griefer
A Invasão dos Endermen
Caçadores de Tesouros em Apuros
 
Sobre a Autora:
Winter Morgan não é uma pessoa real: é o pseudónimo de uma autora de vários livros para crianças e adultos.
Esta autora, que vive em Nova Iorque, tem um filho viciado em Minecraft e uma filha com imensa paciência, que deixa o irmão mais novo açambarcar o computador para criar mods e minerar diamantes...
 

[Novidade] - Booksmile: "Tudo sobre a adolescência - Não é fácil ser rapariga! E rapaz?"


A chegada da adolescência, o que marca a transição entre a infância e a idade adulta e que está cheia de alterações tanto a nível físico como psicológico, é sempre uma dor de cabeça para qualquer pai, ou porque já passaram por ela ou porque têm um filho prestes a entrar nesta fase.
E por isso toda a ajuda é bem-vinda. Com ilustrações e uma linguagem muito acessível e divertida, estes dois guias, um para rapaz e outro para rapariga, vão fazer a diferença nesta fase atribulada que é a entrada na adolescência.

Ser Rapaz não é nada fácil!
Apareceu-te uma borbulha no nariz? A tua barba são apenas alguns pelos? Um bully empurrou-te na cantina? A tua roupa foi escolhida pela tua mãe?
Como podes ser fixe ainda assim? Todos sabemos que a adolescência é tramada. E as emoções, as hormonas, as redes sociais, as experiências e as paixões de verão deixam qualquer um louco. Este guia tem algumas respostas de que precisas para ultrapassar esta fase complicada e confusa da tua vida. 
Prometemos 100% de frontalidade (mesmo nos assuntos que tens vergonha de perguntar aos mais velhos). Um spoiler: com a ajuda deste livro, tu vais viver os melhores anos da tua vida!

 Ser Rapariga é o máximo!
A adolescência é uma época meio estranha, não achas? Passas por momentos esquisitos e inesperados, como quando sentes borboletas no estômago ou aquelas dores de barriga inexplicáveis. E depois há que saber escolher a roupa certa para aquela saída especial, uma SMS que não chega, a BFF que é cada vez menos amiga…
Este livro é para ti! É o guia de que precisas para descobrir tudo sobre a adolescência: hormonas, moda, amizade, amor ou mesmo a «primeira vez». Este livro existe para que não passes por nenhum desses momentos assustadores sozinha. Porque ser rapariga tem de ser o máximo!